+REVIEW - Deus Ex Mankind Divided

11:31 0


Deus Ex, um universo Cyberpunk levado ao limite.



O mundo de Deus Ex

2029. O mundo está em alerta devido aos constantes ataques terroristas feitos pelos primados, seres humanos com melhorias cibernéticas. Mas há uma verdade oculta. Mega corporações manipulam grupos terroristas, pessoas, máquinas... Governos inteiros em busca somente do lucro, não importando a vida das outras pessoas. E somente uma pessoa pode combater isso. Adam Jensen. Um ex-policial que à 2 anos sofreu uma emboscada enquanto fazia a segurança da chefe de pesquisa de uma mega corporação especializada em implantes robóticos. Visando salvar sua vida, Adam recorre a uma medida drástica. Substituir 80% do seu corpo (senão mais) por implantes, o transformando no assassino perfeito, no investigador perfeito, ou em um fantasma, tudo de acordo com as escolhas do jogador.

Com essa sinopse, apresento-lhes, Deus Ex: Mankind Divided.

Ambientação

O jogo claramente se passa em um futuro alternativo, onde a humanidade desenvolveu melhorias cibernéticas aos seres humanos, numa tentativa de acelerar a evolução. O jogo explora tema um quanto como controversos, como abuso de drogas, racismo, preconceito e miscigenação. A humanidade deixou de excluir pessoas por sua cor de pele, e sim se ela tem implantes ou não, criando algo semelhante com o “apartheid”. Lojas não vendendo produtos, vagos me metro separados, pessoas cuspindo quando você passa, entre diversas outras coisas.

Mankind Divided é o quarto jogo da série Deus Ex, e uma continuação direta de Human Revolution, mas a produtora adotou uma abordagem interessante para jogadores de primeira viagem. Assim que você inicia o jogo, os acontecimentos de seus antecessores passam através de uma apresentação de slides, para situar o jogador do ambiente e o quão tensa estão as negociações entre primados e humanos.

Mecanicas e Gameplay

O jogo tem uma temática mais furtiva, favorecendo em XP os jogadores que passam pelas missões sem serem detectados, e antes de se perguntar, sim, é possível chegar feito o Rambo atirando para todos os lados, mas o jogo tem uma dificuldade amarga para esse tipo de gameplay, ele não chega a ser frustrante, mas você sente que se estivesse fazendo de outro jeito poderia ser mais fácil.

O jogo funciona de maneira semelhante a Skyrim ou Infamous, ou seja, baseado nas suas ações, você ganha experiência, podendo comprar os upgrades das partes cibernéticas de Adam, que vão desde um canhão de tesla no braço dele (Sério, não estamos brincando) até invisibilidade ou enxergar através das paredes.


Exemplos das habilidades de Adam


O jogo é mundo aberto, apesar de ser um mundo pequeno e bem vazio quando se refere à atividades extras. Ele é bem direto quanto a isso, tem as side quests, as main quests e ponto, nada mais pra você. Mas quando falamos de Praga (A cidade onde se passa o jogo), as críticas viram para o outro lado. Pessoas para todos os lados, andando, conversando, cuidado da vida delas, passando uma sensação bem interessante à cidade, como se ela realmente estivesse viva.



A segregação obrigou aos civis aprimorados a viverem separados da população

Não podemos falar muito do jogo devido a spoilers, visto que não somente ele é o quarto jogo, mas o jogo inteiro é feito por reviravoltas e mindblows. Então para aproveitar tudo, você deverá jogar

Como já era de se esperar, o jogo foca bastante em decisões morais, trabalho acima de tudo ou devemos desacatar ordens para salvar uma vida? O quão valiosa é uma vida comparada a outra? O que dá a você o direito de julgar quem vive e quem morre? Coisas assim são comuns, e você deve esperar em quase todas as side quests do jogo.
Voltando a falar de como o jogo funciona, mas agora sendo um pouco mais técnico, ele se trata de um jogo de ação em primeira pessoa, com elementos de RPG e espionagem tática. Por se tratar de assuntos como conspiração e os outros citados anteriormente, a história e narrativa são fantásticas, impedindo você de parar de jogar até você descobrir a verdade (Caso goste do gênero igual a mim).
Apesar de ser um jogo muito bom, não pode deixar de ter falhas. A dublagem é um pouco fraca, considerando o ano que o jogo foi lançado (2016), as vozes não combinam e há muitas inconsistências com a legenda ou uma fala literalmente errada é dita ou repetida, tirando completamente a seriedade da cena. NPCs atravessando paredes ou com o famoso “Olho de Tandera” também são comuns, criando tanto situações cômicas quanto frustrantes ao jogador.
A trilha sonora do jogo não deixa a desejar, mas também não é memorável, tem seus pontos altos, mas nada que você dirá “Nossa, essa musica é do Deus Ex”. Apesar de ser um som bem eletrônico e pesado, não incomoda os ouvidos por longas jogatinas como tive que fazer em alguns outros jogos que joguei.

Conclusão final

Deus Ex: Mankind Divided é um jogo excelente, com ótimas mecânicas e enredo, porém é feito para um nicho muito específico, sendo menosprezado por grande parte dos jogadores. Pedimos à vocês a deixarem o preconceito de lado, e vir conhecer o jogo e quem sabe, se apaixonar nesse gênero de Cyberpunk onde o jogo se passa.

Pontos Positivos
  • Enredo bem atado e surpreendente.
  • Mecânicas que vemos em vários jogos, porém com interface intuitiva e adotada de maneira diferente.
  • Personagens do enredo principal cativantes.
  • Ambientação fantástica.
  • Por abordar temas realistas, passa a impressão de que o jogo é perfeitamente possível no mundo real.


 Pontos Negativos

  • Dublagem em Português tem muito a desejar, com vozes não combinando e/ou sem sincronia com a cena.
  • Falta de atividades secundárias ao jogador.
  • Trilha sonora sem muita marca, passando a impressão de ser dispensável.
  • Em dificuldades mais altas, pode ser frustante para alguns jogadores.
Nota: 9,0

Fizemos a análise aproveitando que o jogo esteve de graça para os assinantes da Playstation Plus do mês de Abril.

E ai? Gostaram da análise? Deem seu feedback a respeito do jogo caso já tenha jogado e podemos discutir nos comentários. Tem algo que não dizemos? Sinta-se livre para complementar a análise também.

0 Comentários para "+REVIEW - Deus Ex Mankind Divided"