+EXPECTATIVA - TOMB RAIDER

11:00 0

Como uma franquia iniciada em 1996 se mantém viva e conquista uma legião de fãs 20 anos depois. 




Bom dia, senhoras e senhores! Estou de volta com uma Review especial para vocês. Como alguns devem saber, em alguns dias estreia o novo filme de Tomb Raider e resolvi trazer hoje uma matéria especial contando toda a história da série, os principais jogos e a evolução do game até chegar nos dias atuais e, principalmente, o que esperar a respeito do novo filme. Estou fazendo a Review agora, mas assim que o filme sair irei trazer um novo texto a respeito, justamente para compararmos se as expectativas superaram a realidade. Se você assim como eu é um grande fã da série, espero que curta essa viagem ao tempo ou caso não conheça, te convido a mergulhar no passado de uma das personagens mais emblemáticas do mundo dos games. 


Afinal, quem é Lara Croft?

A evolução de Lara ao longo dos seus 20 anos de vida. 


Primeiramente batizada como Laura Cruz, ela seria uma arqueóloga peruana, porém, após algumas reuniões e remodelações, eles chegaram a personagem final, nossa Lara Croft, uma arqueóloga britânica, forte e independente cuja profissão é viajar pelos mais diversos locais do mundo em busca de artefatos, relíquias, amuletos e tesouros raros para museus e colecionadores ricos. É claro, Lara está quase sempre metida em alguma encrenca, cercada de ladrões, pistoleiros, animais selvagens e outras criaturas místicas. Tem pra todo gosto.

Lara é uma mulher rica criada no meio das classes mais altas da sociedade britânica que vê sua vida mudar totalmente após uma viagem ao Himalaia ainda quando criança: O avião em que ela e sua família estavam sofre um acidente e ela se torna a única sobrevivente. Ela então é criada por seu pai, Richard Croft e após sua morte, Lara se torna a herdeira de toda a fortuna, é nomeada como Condessa de Abbingdon e resolve continuar o legado de sua família trabalhando com arqueologia. Posteriormente, em 2013 com o Reboot da série, essa história foi alterada, mas iremos comentar mais a frente.



Tomb Raider:  A primeira geração: 1996-2011


Capas dos primeiros jogos, lançados entre 1996 e 2001

Para os mais saudosistas como eu, se trata da melhor época dos games da arqueóloga mais conhecida do mundo. Me lembro quando era criança e ainda não possuía vídeo game de ficar esperando o dia de ir pra casa da minha vó e meu cunhado levar o PlayStation 1 dele para poder jogar. Sempre fui fascinado por arqueologia e o estilo de jogo em si é deveras interessante.


Primeira cena do game de 1996: Aqui iniciava nossa jornada.
Iniciava-se em 1996 uma das franquias de maiores sucessos do mundo dos games. Atualmente encontra-se com mais de 100 milhões de cópias vendidas mundo afora, diversos prêmios ao longo de sua história, muito prestígio e um enorme carinho por parte de seus fãs. Os primeiros jogos foram produzidos pela Core Design em parceira com a Eidos Interactive, entretanto, em 2006 a Crystal Dynamics adquiriu seus direitos e posteriormente em 2010 a Square Enix passou a ser sua distribuidora. O jogo rapidamente se tornou um sucesso de público e crítica, apresentando as mais avançadas tecnologias da época em cenários 3D que representam cavernas, tumbas entre outros em que o jogador precisa guiar Lara por esse mundo desconhecido e hostil, cercado de mistérios e ameaças em busca de um artefato misterioso. Nesse primeiro game, ela é contratada por Jacqueline Natla para investigar e encontrar as três partes de um artefato de Scion . Apesar dos gráficos extremamente "quadrados" e jogabilidade dura, é um dos jogos favoritos dos fãs.



Evoluçao dos gráficos dos jogos de 1997 a 2001

A partir de seu jogo base, Tomb Raider ganhou ainda outras 4 continuações, ainda para Playstation 1: The Dagger of Xian (1997), em que Lara buscava uma adaga capaz de transformar seu usuário em um dragão, Adventures of Lara Croft (1998), retornamos com Lara para investigar 4 pedaços de um estranho meteoro com poderes, The Last Revelation (1999), em que, pela primeira vez controlamos Lara ainda quando criança, visitamos o Egito e acordamos (acidentalmente) o Deus Seth e Chronicles (2001), onde acreditamos que Lara está morta e a história é contada a partir de um grupo de amigos que se reúnem para contar as velhas aventuras de nossa heroína. 





The Angel of Darkness: 2003 - O declínio.



Game lançado em 2003 traz uma Lara mais sombria.

Todos os jogos anteriores possuíram grande sucesso de vendas e críticas, mas era hora de inovar, uma nova geração dos consoles estavam surgindo e os produtores queriam trazer a Lara com melhorias gráficas e de jogabilidade. Iniciava-se até então o projeto mais ambicioso envolvendo Lara, porém, diversos atrasos e problemas com orçamento marcaram a estreia da nova geração e, em 01 de junho de 2003 chegou ao mercado The Angel Of Darkness. Em minha opinião, dividiu totalmente a história de Lara Croft. O jogo pela primeira vez é bem sombrio e escuro. Lara recebe um telefonema de seu antigo reitor da faculdade que estudou em Paris e ao se encontrar com Werner Von Croy, ele é assassinado e Lara é acusada de homicídio. Fugindo da polícia, ela precisa confrontar um estranho alquimista em busca da verdade. Durante o jogo em diversos momentos, Lara encontra-se e recebe ajuda de um misterioso personagem e o final do jogo deixou espaço para discussões acerca do destino de Kurtis. Muitos esperavam que ele retornasse novamente em jogos posteriores da série, mas com o Reboot da série em 2013, Kurtis foi jogado no limbo dos personagens esquecidos.

O game impressiona pela riqueza de detalhes para os gráficos da geração
A premissa do jogo é genial e se tornou uma das melhores histórias de toda a série. A ambientação do jogo é muito bonita e realmente os gráficos estavam muito melhores e trazendo pela primeira vez Lara explorando cenários urbanos como guetos em Paris, cemitérios em Praga e outras locações com uma riqueza de detalhes impressionante para a época, todavia, devido a pressão da Eidos na época para o lançamento de um jogo que superasse as expectativas dos usuários e um curto espaço de tempo para a produção, a Square se viu obrigada a cortar diversas partes do projeto original. O jogo lançado possui sérios problemas em sua jogabilidade, os movimentos de Lara são totalmente robóticos e difíceis de serem controlados. Apesar de ser lançado para a nova plataforma, o jogo apresentava uma mecânica inferior ao primeiro jogo da franquia, lançado em 1996. É claro que isso pesou e o game rapidamente ficou encalhado nas prateleiras e caiu no esquecimento, recebendo uma recepção negativa por parte dos usuários, críticas e um vexame de vendas. Apesar de todo o avanço tecnológico investido no jogo, era hora de mudar.


Vou deixar um vídeo pra vocês com alguns minutos da gameplay do jogo para vocês entenderem o quão problemática é a mecânica de Lara no game:





Legends: 2006 - O retorno ao topo.




Três anos após The Angel of Darkness, em 2006, e já produzido pela Crystal Dynamics, foi lançado Tomb Raider: Legends que nos convidava a mergulhar no passado de Lara e reviver o fatídico acidente de avião comentado mais acima em busca da verdade sobre sua família. Os novos produtores se empenharam para trazer um game totalmente reformulado e a crítica especializada elegeu Legends como um dos três melhores games de toda a franquia. O jogo de fato apresentou mudanças reais na mecânica de Lara que, pela primeira vez se movimenta livremente , sem os gravíssimos problemas do seu antecessor. Graficamente falando o jogo era muito bonito e Lara encontrava-se com um formato muito mais humano e próximo da realidade. Falando-se do enredo, o jogo possuiu uma boa e interessante premissa, todas as fases eram muito diferentes umas das outras e apresenta-se um bom desfecho da história.

Capas dos três últimos games lançados antes do Reboot, em 2013.

Com sua popularidade restaurada foi lançado em 2007, para comemorar os 10 anos do lançamento do primeiro jogo, Tomb Raider: Anniversary que é um remake do jogo de 1996 com as já citadas melhorias de gráficos e jogabilidade iniciadas no ano anterior. Em 2011 foi lançado o último game dessa primeira fase da Lara intitulado Underworld em que Lara mergulha na mitologia nórdica em busca do lendário Martelo de Thor. Apesar de todo o sucesso dos últimos três games e, aparentemente terem superado os fantasmas de 2003, os produtores não estavam contentes com o rumo que a franquia estava tomando. Chegava a hora de, pela primeira vez, alterar a história da arqueóloga e dar um Reboot na série.



Porém, antes de falarmos sobre a nova franquia, vale também comentar que nesse primeiro período que vai de 1996 até 2011 diversos outros produtos com a marca de Tomb Raider foram lançados, como revistas em quadrinhos, alguns outros games menores e dois filmes com a musa das musas, Angelina Jolie. Eles foram lançados em 2001 e 2003, respectivamente, e apesar de trazerem a heroína para as telonas e serem filmes bem produzidos, não possuíam qualquer ligação com nenhum dos jogos mencionados, apresentando uma nova história para o passado de Lara e artefatos diferentes dos que ela busca nos jogos. Infelizmente os filmes não foram bem recebidos nem pela crítica e nem pelos fãs que disseram que foi uma tentativa fracassada de reproduzir todo o esplendor de Lara nos cinemas.



A nova franquia de Tomb Raider: 2013-2017



Diferença entre o primeiro jogo original da série (1996) e seu Reboot (2013).

Estamos novamente em uma nova geração dos consoles e os produtores acharam melhor criar uma nova história é uma nova identidade que combinasse mais com Lara. Pela primeira vez na história de franquia usaram a captura de movimentos da atriz Camila Luddington para dar mais vivacidade e fluidez aos movimentos de Lara. Lançado em 2013, o game intitulado apenas como Tomb Raider, traz uma Lara mais jovem e indefesa, que se vê obrigada a sobreviver em uma ilha japonesa cercada de mistério após um estranho naufrágio da embarcação que ela e a tripulação viajavam. Seus amigos ainda estão vivos e foram capturados por alguma coisa e Lara precisa encontrar forças para continuar avançando e salvá-los de algo que ela nem sabe o que é.
Lara e sua intérprete, Camila.
O game não possui qualquer relação com os jogos anteriores e, como dito, os produtores resolveram modificar sua história, não havendo o acidente de avião em que Lara perde sua mãe aos 8 anos de idade; Nesse primeiro jogo, seu pai desaparece em uma expedição para encontrar uma ilha que fica ao sul do Japão e ela resolve ir atrás dele. O jogo foi um sucesso de crítica e vendas, os fãs adoraram a nova cara de Lara e os produtores estavam animados em dar uma sequência à história. Uma das frases mais emblemáticas do game é: “Nasce uma sobrevivente”. Em diversas entrevistas que li, os produtores buscavam dar a Lara uma identidade mais humana e vulnerável, em que, de acordo com a progressão da história, Lara descobria sua força para continuar viva e lutando para salvar seus amigos. O fato de usarem uma atriz para dar vida a Lara contribui ainda mais para a imersividade da história, onde vemos por diversas vezes conflitos internos da personagem sobre o que é certo fazer.




O jogo mais recente da franquia foi lançado em 2015 e se chama Rise Of The Tomb Raider. O jogo se passa logo após os eventos da série iniciada em 2013 e agora apresenta uma versão mais madura e adulta de Lara. Dessa vez a história se passa nas paisagens gélidas da Sibéria em que, segundo lendas, escondem o segredo da imortalidade. Essa antiga lenda estava sendo estudada por seu pai antes de seu falecimento, e Lara resolve dar continuidade as investigações após sua mansão ser invadida e alguns documentos serem roubados por um membro de uma sociedade intitulada como Trindade. O game possui uma excelente ambientação, apresentando melhorias gráficas com relação ao seu antecessor e um enredo muito interessante. O game mais uma vez repetiu o sucesso de crítica e público e, estima-se a vendagem de mais de 1 milhão de cópias em todo mundo. Existem rumores que um terceiro game da trilogia está sendo desenvolvido e que se chamará Shadow Of The Tomb Raider e que será lançado no final de 2019, entretanto, ainda não possuímos notícias concretas.


O que esperar sobre o filme?


Antes de mais nada, caso você não tenha visto, deixo aqui um dos trailers do filme.





Além do trailer, deixo aqui uma sinopse que encontrei na internet.

Lara Croft é a feroz e independente filha de um aventureiro excêntrico que desapareceu quando ela era apenas um adolescente. Agora, uma jovem de 21 anos e sem nenhum foco real ou propósito, Lara navega pelas ruas caóticas de Londres como uma mensageira. A vida dela é basicamente pagar o aluguel, e fazer cursos de faculdade. Determinada a forjar seu próprio caminho, ela se recusa a tomar as rédeas do império do seu pai. Lara é conselhada a enfrentar a realidade e seguir em frente depois de sete anos sem o pai, mas ela não consegue entender e decide tentar resolver o quebra-cabeça de misteriosa morte de seu progenitor. Indo explicitamente contra seus desejos finais, ela deixa tudo para trás e vai em busca do último destino conhecido de seu pai: um túmulo lendário em uma ilha mítica que poderia estar em algum lugar da costa do Japão. Mas sua missão não será fácil; Chegar à ilha será uma tarefa extremamente difícil. De repente, as apostas não poderiam ser mais elevadas para Lara, que – contra as probabilidades e armada apenas com sua mente afiada, uma fé cega e espírito teimoso – deve aprender a ultrapassar seus limites enquanto viaja para o desconhecido. Se ela sobreviver a esta aventura perigosa ela poderá ganhar o nome de Tomb Raider.



Enredo:

Como citamos anteriormente, a história de Lara Croft veio se modificando ao longo dos seus quase 20 anos de vida. Após uma decisão dos produtores, em 2013 foi lançado um Reboot para a série que atualmente conta já com uma sequência. Iremos nos ater a esses dois games para falarmos a respeito do filme, que, segundo o diretor Roar Uthaug foram a fonte de inspiração para o filme.

O game mostra uma Lara jovem e despreparada que resolve investigar o paradeiro de seu pai que desaparece em uma expedição para encontrar uma misteriosa ilha localizada no sul do Japão. Lara refaz os passos do pai em busca de pistas, porém ela e a tripulação sofrem um misterioso acidente e seu navio naufraga. Já na ilha, Lara descobre que seus amigos foram raptados e precisa correr contra o tempo para conseguir salvá-los.

Pelo que pude perceber nos dois trailers e entrevistas dos produtores e diretores, esse será o gancho principal no qual o filme irá se desenvolver. Um fato que me incomodou um pouco ao assistir ao trailer é o fato de que no jogo começamos a jogar com uma Lara totalmente desprevenida e indefesa e conforme o game se desenvolve, Lara vai ficando mais forte e auto confiante, diferentemente do perfil da personagem no filme, que parece saber o que está fazendo desde o início. Algumas cenas do trailer me chamaram bastante atenção pela riqueza de detalhes e proximidade com as cutscenes do game, um ponto muito positivo.

Elenco:

Desde 2013 que a Crystal resolver capturar os movimentos de Lara através do uso de uma atriz. As vantagens são inúmeras, entre elas humanizar cada vez mais a personagem, dando mais fluidez de movimentos e a melhor captação dos diversos sentimentos interpretados. A escolhida para viver Lara nos games é Camilla Luddington, mais conhecida por seu papel no folhetim médico Grey's Anatomy, contudo ela não manteve seu posto e foi substituída pela já ganhadora do Oscar Alicia Vikander Não sei se Camila nem foi cogitada a viver a personagem ou se por qualquer outro motivo ela não quis/pode aceitar. Apesar de não achar Alicia a cara da Lara, acredito que fará um bom trabalho.

E aí, vai ser sucesso?

O filme será lançado no próximo dia 16 e é totalmente incerto realizar uma previsão a respeito de sua bilheteria na semana de estreia. Apesar de ter sido orçado em aproximadamente 100 mil dólares, o longa não possui ampla divulgação na mídia, um fator que pode prejudicar muito a popularidade do filme. Também cito que os jogadores que irão até os cinemas prestigiar o novo filme da heroína precisam se identificar com a história contada e, para isso, o diretor precisa apostar em um roteiro envolvente e original, com a cara do jogo. Pelo que pude perceber ao analisar todo o material já lançado sobre o filme, o mesmo me parece ter misturado eventos de ambos os jogos para criar um blockbuster de ação, mas prefiro esperar até ter assistido ao filme para que tenha uma opinião a respeito. Assim que possível, irei trazer a review atualizada para vocês. 


20 anos de história em uma só foto. 

Falta muito pouco para termos o Reboot de Tomb Raider nas telonas. Ansiosos? Conta pra gente nos comentários abaixo. Espero que tenham gostado da Review especial e até a próxima!





E aí, gostaram? Acharam que faltou algo? Qualquer elogio, crítica e sugestão é bem vinda.

0 Comentários para "+EXPECTATIVA - TOMB RAIDER"