+REVIEW - Glitch

18:00 0
Os mortos retornam. E agora?
É aí, pessoal! Hoje vim falar sobre uma série muito interessante em que, primeiramente foi exibida e produzida por um canal australiano, porém, a Netflix comprou seus direitos e produziu uma segunda temporada exclusiva para o canal chamada Glitch. Estreou recentemente essa temporada e, vou ser sincero com vocês, nunca tinha ouvido falar da série. E não sou o único, a série não possui grande divulgação por parte do serviço de Streaming, mas deveria. Em minhas buscas incansáveis na internet, passei por alguns sites e conferi a sinopse da série que basicamente dizia: O que aconteceria se os mortos pudessem se levantar? 

E é exatamente isso que acontece. A série se passa em uma cidade fictícia chamada Yoorana em que em uma noite aparentemente normal, um jovem se encontra indo pra casa de bicicleta e passa em frente ao cemitério da cidade. Ele ouve pedidos de ajuda vindo de dentro do local e resolve entrar no cemitério (sim, a noite!!!) para investigar o que está acontecendo e encontra diversas pessoas que aparentemente saíram dos seus túmulos. A polícia é acionada  e, junto com uma médica, essas pessoas são levadas para uma clínica para receberem os primeiros cuidados até entenderem o que de fato está acontecendo. Por alguns motivos, eles resolvem omitir os acontecimentos e escondem os mortos em uma casa até terem certeza de tudo. Não irei me aprofundar muito mais para não soltar spoilers, porém, a premissa é basicamente essa. 

A série é muito curta, ambas as temporadas possuem poucos episódios, o que reflete em um ritmo muito acelerado dos acontecimentos, um ponto extremamente positivo em uma série de suspense/investigação, pois não queremos perder tempo com questões pouco importantes e focar apenas no mistério principal. Pelo menos, na primeira temporada. Já no ano seguinte, talvez por falta de alguns ganchos principais que já foram resolvidos durante o ano de estreia, eles começam a investir em personagens secundários, ampliando mais a história. 

Com o desdobramento da série, é possível perceber que os personagens não lembram seus nomes e nenhuma informação pessoal, não sabem onde estão e, o principal de tudo, não faziam ideia que estavam mortos e/ou como morreram. Aos poucos, ao visitar alguns pontos da cidade, eles começam a se lembrar de quem eram e de suas mortes, algo muito interessante, pois todos parecem terem tido um tipo de morte não resolvida que os liga diretamente a Yoorana. Um fato importante que vale a pena destacar: Eles não são capazes de saírem da cidade. Ao tentarem atravessar certos limites, como uma ponte, por exemplo, eles começam a sangrar e, caso continuem, acabam morrendo - de novo.  

Ao longo dos capítulos, enquanto o as investigações acerca dos acontecimentos se desdobram, somos apresentados a flashbacks dos personagens, entendendo o que de fato aconteceu com cada um deles. É possível ver que, em alguns casos, algumas pessoas são de épocas bem remotas da cidade. A questão é: Por que acordar agora? 

Vale a pena lembrar que ao citar a temática de "mortos vivos" logo pensamos em uma série de terror ao estilo de The Walking Dead. Não. Não é o objetivo da série. Ela não assusta e não dá medo. Os renascidos não vagam por aí sem rumo buscando cérebros para o café da manhã. Como citei, é uma série de suspense e sobrenatural e se aprofunda em questões espirituais. As coisas vão acontecendo e sua cabeça dá um nó ao tentar entender e, ao final da primeira temporada, mais perguntas que respostas se acumulam.

Eu vi a primeira temporada em torno de dois dias - só porque precisava acordar cedo no outro dia. Como sempre, parece que a maldição das séries em que em seu primeiro ano apresenta uma qualidade superior diante das demais temporadas acontece com Glitch também. Apesar de terem terminado de maneira bombástica e o primeiro episódio da segunda temporada ter apresentado a mesma qualidade da temporada anterior, a série vai perdendo o gás inicial  e começa a ficar menos interessante, apresentando novos arcos e personagens, que ao meu ver, não são tão fundamentais para a série. Mesmo assim, recomendo que assistam, pois a narrativa principal da história continua se desenvolvendo e mais alguns mistérios são esclarecidos. 

Falando dos personagens, gostei da atuação de todos, em um geral. São bem competentes e capazes de exprimir para o público exatamente o que querem passar. A cidade foi muito bem ambientada e, apesar de se passar na Austrália, lembra muito uma cidade do interior do Texas, com paisagens rurais e muito verde. 



Pontos positivos:
  • História interessante e atraente;
  • O roteiro dos episódios nunca cai na mesmice, tem sempre algo acontecendo;
  • Possui poucos episódios, o que facilita para assistir e realizar maratonas;
  • Mescla entre o científico e espiritual



Pontos negativos:
  • Segunda temporada apostando em personagens menos carismáticos que os da primeira temporada
  • Em alguns momentos a falta de ação e acontecimentos significativos para a história imprime um ritmo lento e cansativo.


Nota: 7,5


E aí, gostaram? Acharam ruim? Sentiram que faltou algo? Qualquer elogio, crítica e sugestão é sempre bem vinda!

0 Comentários para "+REVIEW - Glitch"